20 novembro 2006

MODA = MAGREZA ?

Vou começar com a última notícia que deixou todos espantados. Como pode uma menina tão bonita, esperta e indo bem na carreira, deixar de comer para ficar na moda?

E na quinta-feira, outra mulher (21 anos) também abraçou a morte.

A questão não é tão simples. Tem o fator psicológico (ela se enxerga gorda!) Tem o fator profissional( para desfilar e ganhar dinheiro, gordurinhas são impensáveis).

Mas como pode a família, o agente, os amigos, deixarem isso acontecer?
Porquê a moda insiste nesta coisa de que as meninas devem ser magrelas?
Isso não te irrita?


Caso nao consiga ver a imagem acima, clique no link abaixo
http://www.youtube.com/v/TJotWntImX0

Folha on line
G1 Notícias
G1 Notícias 2
Anorexia

3 comentários:

Anônimo disse...

adorei o novo contato e já adicionei aos favoritos!!!!
abraços
flavinha

bruna paixão disse...

Oba! Blog novo e sacana :p
vou ficar de olho.
beijo

Maria Angela disse...

Sabe, KK, essas tragédias me fizeram lembrar de um outro episódio, também ligado ao fatual mundano, porém desta feita ligado a uma certa Paris (não a poluída capital que todos conhecemos), e que aconteceu a poucos meses atrás nos Estados Unidos.

O Sr. Elliot Mintz, responsável pela assessoria de imprensa da atriz-cantora-manequim-bilionária Paris Hilton, em resposta ao vídeo em que a bela Paris aparece fumando o que parece ser um "baseado" (cigarro de maconha para quem jamais ouviu falar deste termo) em um clube de Los Angeles, declarou: "Eu gostaria de deixar algo claro a todos vocês. Paris Hilton tem o hábito de enrolar os seus próprios cigarros de tabaco. As coisas nem sempre são o que elas parecem ser. Foi apenas tabaco o que vocês viram."

Certo, e fumar crack é fumar um jogador de futebol cheio de talento. Honestamente, se eu fosse o senhor Mintz eu teria muito polidamente escrito a seguinte carta a todo o "staff" da senhorita Hilton:

"Querida Paris,

no momento eu estou demissionando da minha posição de seu assessor de imprensa. A despeito dos meus mais veementes esforços no sentido contrário, você deixou claro o seu total desinteresse em se conduzir de maneira condizente ao seu status de vida. Não é que você se deixe consumir por hábito auto-destrutivos, afinal isso não deixa de ser esperado de alguém a quem os pais deram tudo menos amor e dedicação. No entanto, é mais pela sua falta de consideração à minha posição e à minha suposta habilidade em inventar desculpas patéticas e enigmas cheios de alusões na tentativa de explicar as derrapagens do seu comportamento. Eu sou um assessor de imprensa, não um mágico. Nenhuma soma de dinheiro pode torná-la mais do que você é, o que na expressão vernacular do dia é algo próximo do que se poderia chamar de uma "galinha".

Passe bem. Espero que algum dia você possa finalmente descobrir a dignidade e destacar-se deste mal-cheiroso e embaraçante sistema de vida no qual você decidiu de se pendurar."

Numa boa. E sem a menor ofensa, é claro.